segunda-feira, 15 de agosto de 2016

O Uso de Cardio Mind com Metáforas Terapêuticas - Gastão Ribeiro

O Uso de Cardio Mind com Metáforas Terapêuticas O uso de metáforas como instrumento terapêutico é uma ferramenta poderosa, especialmente quando associamos ao Cardio Mind. A metáfora é um método experiêncial que sinaliza novos caminhos de forma diferente. São estórias e analogias com o sentido de guiar as associações internas do cliente. É uma forma de sugestão indireta com múltiplas funções e em especial a de traçar um paralelo sobre o problema do cliente mostrando uma saída adaptativa. As metáforas tendem a atuar em nível inconsciente, contornando as resistências da mente consciente, proporcionando, assim, mudanças significativas. Erickson, ao falar de mente inconsciente possivelmente se referia ao hemisfério direito do cérebro (não dominante). As metáforas podem ser feitas de duas formas: por similaridade ou por analogia. Por similaridade, é utilizar as metáforas em situações que o cliente gosta. Por analogia, é contar casos parecidos como os do cliente, de uma forma indireta, o que não afrontará o cliente e proporcionará uma atmosfera menos carregada. Ao contrário do que se imagina o processo de auto regulação que encontramos após o protocolo de Cardio Mind não provoca um papel reativo no cliente, isto é, o cliente em auto regulação prestam mais atenção ao que é significativo para eles e pro ativamente adaptam as sugestões que melhor se encaixam em suas necessidades. Assim, o cliente de uma forma inconsciente é ativado pelo processo para pro ativamente escolher se e como utilizar qualquer sugestão que lhe tenha sido oferecida.
O Cardio Mind é um prática quimicamente inteligente, e ao usar o uso terapêutico de metáforas após o protocolo estamos potencializando ao máximo esta pratica.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Cardio Mind e a Coerência Cardíaca no Trabalho com Depressão - Gastão Ribeiro

Ferramentas novas contra os processos depressivos O Cardio Mind e Coerência Cardíaca são hoje uma das ferramentas mais importante no trabalho com depressão. Segundo a Organização Mundial de Saúde a depressão será em alguns anos o maior fator de incapacitação de pessoas no trabalho. O terapeuta atual tem que se preparar para enfrentar esta nova realidade, utilizar novas ferramentas e os conhecimentos de neurociências para alcançar resultados eficientes no combate a este mal. Cardio Mind e a Coerência Cardíaca talvez seja hoje a ferramenta mais eficiente no combate a depressões. O grande papel de auto regulação que a ferramenta proporciona quimicamente atua neste sentido. Entenda como usar esta ferramenta e associa-la ao uso de metáfora Aprenda isto é muito mais no curso de Novas Ferramentas, se inscreva pela internet: http://synapsyead.commercesuite.com.br/cursos-a-distancia/gastao-ribeiro/novas-ferramentas-em-coerencia-cardiaca-e-cardio-mind Ou procure: Informações e Inscrições Viviane Daemon 61-92612397 etraumabsb.cursos@gmail.com GASTÃO RIBEIRO Telefone: 31 - 3296-9079 31 - 99241-1004 Email: gastaoribeiro@yahoo.com.br Wathsapp - 31 - 99241-1004

sexta-feira, 18 de março de 2016

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Hipnoterapia Cognitiva, Analítica e Comportamental - Gastão Ribeiro

Espaço Trauma e Synapsy EAD em parceria com a Hypnos de Portugal tem o prazer de trazer para o Brasil o Prof. Mário Rui Santos para um Workshop de Hipnoterapia Cognitiva, Analítica e Comportamental . Haverá o curso no Espaço Trauma Curitiba, Goiânia e Belo Horizonte. Em breve as datas, o programa de curso que esta fantástico e vem com uma promoção espetacular da Hypnos, Espaço Trauma e do Synapsy EAD. Este ninguém vai perder. Serão apenas 50 vagas por Espaço Trauma. Vem aprender com a gente!!!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Espaço Trauma Rio de Janeiro

Vem ai mais um Espaço Trauma, com a parceria da minha amiga Marcia Mathias.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Traumas e biofeedback - Van der Kolk

Este texto do Van der Kolk nos faz pensar que estamos no caminho certo na utilização de cardiofeedback em procedimentos com trauma, vejam: Trauma e chances de cura - Van der Kolk Um grande problema que os cientistas estão apenas começando a lidar é como muitas vezes as vítimas de trauma crônico são incapazes de escapar do ambiente traumático ao redor deles. Mas estudos recentes sugerem que pode haver esperança. Técnicas como neuro-feedback e até mesmo atenção e meditação são eficazes como ferramentas terapêuticas para pessoas presas em ambientes traumáticos. Outras ferramentas também animaram os neurocientistas recentemente. Van der Kolk teve resultados positivos entre as pessoas traumatizadas utilizando neuro-feedback, quando os pacientes são "realimentados" com imagens de sua atividade cerebral que correspondem aos seus estados mentais. Com treinamento, eles podem aprender como acessar as ondas teta profundas do cérebro que correspondem aos estados de tranqüilidade emocional e pensamento racional. Van der Kolk está trabalhando com cerca de 50 crianças no Centro de Pesquisa de Trauma, em Boston. Ele disse que acredita que o tratamento de uma pessoa traumatizada em um ambiente traumático é similar a criação de "uma ilha de estabilidade" em torno da qual outros podem se reunir e pela qual eles possam aprender a lidar melhor. "Eu acho que as 50 crianças que nós temos não são mais os futuros estupradores e assassinos da América", disse ele em um simpósio em Los Angeles no início deste mês na cura do trauma. Por que é importante A mais nova área de estudo, também pode ser uma das mais promissoras. Os neurocientistas, médicos e pesquisadores estão cada vez mais voltando sua atenção para uma área que budistas e filósofos têm estudado por mais de dois milênios: a plena consciência. O número de estudos de casos científicos de como a atenção pode ajudar vítimas de traumas tem crescido exponencialmente nos últimos anos. Uma razão é que a atenção está cada vez mais sendo associada aos tipos de experiências positivas sociais e emocionais que as vítimas de trauma, muitas vezes já não sentem, o que os médicos descrevem como entorpecimento emocional. Ruth Lanius, uma professora adjunta do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Western Ontario, tem estudado a consciência emocional e atenção no Trasntorno de Estresse Pós Traumático (TEPT) por vários anos, e encontrou correlação direta entre consciência e atividade cerebral. Usando exames de ressonância magnética, descobriu que quanto mais atentos seus pacientes eram, maior ativação apareceu em uma área do cérebro chamada córtex pré-frontal dorsomedial - uma região do cérebro envolvida na consciência reflexiva. Há uma boa razão para todo esse interesse nas ciências do cérebro e sua influência sobre a jovens traumatizados. Por um lado, é relativamente barato. "Sabemos mais sobre como o trauma afeta crianças do que sabemos sobre a esquizofrenia, ou mesmo o ranstorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) , ou mesmo transtorno bipolar", disse Putnam. "É uma área onde a recompensa dos montantes menores tem sido bastante dramática". Em segundo lugar, surge um consenso entre muitos terapeutas de muitas que crianças traumatizadas estão sendo medicadas em excesso. Só no ano passado, as crianças americanas consumiram 16,3 bilhões de dólares em medicamentos anti-psicóticos.Pesquisadores como van der Kolk e outros dizem que esses medicamentos estão destruindo a capacidade das crianças de se enquadrar no mundo. "Aposto que metade das crianças que tomam esses medicamentos nunca serão membros funcionais da sociedade", disse ele. "É uma catástrofe nacional". Scientists seek to treat chronically traumatized brains