Pular para o conteúdo principal

As Razões do Coração - Coerência Cardíaca

As Razões do Coração - Coerência Cardíaca
Gastão Ribeiro

O coração e a mente precisam andar em equilíbrio e descobertas sobre o funcionamento do coração associado ao cérebro emocional têm demonstrado a existência de uma conexão fisiológica direta entre esses dois órgãos do corpo. A esta comunicação equilibrada e harmônica entre o coração e o cérebro é denomina-se Coerência Cardíaca.

A Coerência Cardíaca é uma técnica criada pelo Institute HeartMath que descobriu que em situações de estresse, ansiedade, depressão ou cólera, o ritmo cardíaco se torna "caótico", ao contrário dos estados de bem-estar, quando se mostra "coerente". O ritmo cardíaco influi diretamente na pressão arterial, na respiração e também no funcionamento do sistema imunológico.

A Conexão do Coração e da Mente

Dentro do coração existem 40 mil axônios que tem uma ligação direta com o cérebro emocional, em uma conexão estreitamente íntima. O reflexo direto desse vaivém entre o cérebro emocional e o coração é a variação dos batimentos cardíacos.Entre o nascimento, quando a variação é mais forte, e a proximidade da morte, mais baixa, o ser humano perde cerca de 3% de sua capacidade de variabilidade cardíaca. Existe uma variação considerada normal e saudável, que é sinal do bom funcionamento do "freio" e do "acelerador" do coração.
Em situações emocionais negativas alteram o ritmo cardíaco. Ele se torna "caótico", ao contrário dos estados de bem-estar, quando se mostra "coerente". Estudos sobre como manter um ritmo cardíaco "coerente" concluíram o controle interior da própria fisiologia através de pequenos exercícios controla o ritmo do coração. Por meio de exercícios respiratórios simples, consegue-se esta "coerência" evitando o "caos", associados ao estresse e estados depressivos.

Em um estudo publicado no "American Journal of Cardiology", no entanto, pesquisadores do Instituto HeartMath, da Califórnia, mostram que uma simples lembrança positiva induz a uma rápida transição da variação cardíaca ao ritmo "coerente". Na Inglaterra, 6.000 executivos de grandes empresas, como Shell, British Petroleum, Hewlett-Packard e Unilever, foram treinados para realizarem exercícios que os ajudassem a manter uma coerência cardíaca. O mesmo ocorreu nos EUA, com empregados da Motorola e funcionários do governo da Califórnia.
Outro estudo, da Academia Nacional de Ciências dos EUA, sugere que a coerência cardíaca favorece o equilíbrio hormonal: após um mês de prática de exercícios (30 minutos diários, cinco dias por semana) que promovem o "ritmo coerente", a taxa de DHEA (dehidro-epi-androsterona), o chamado "hormônio da juventude", dobrou.

A Inteligência do Coração

O coração e o corpo pensam. Essa memória ficaria armazenada em todas as células do organismo, pois transplantados especialmente os de coração, relatam memórias dos receptores isto seria fruto da nossa memória celular. Propõe-se, hoje, que exista outro nível de inteligência, a corporal que na verdade é o nosso conjunto de memórias celulares. O raciocínio é cerebral, mas o sentir é cardíaco.

Este paradigma é novo, deve-se estar aberto para experimentar um nível sutil de realidade que ainda não nos é familiar, permite acessar outro nível de comunicação, com a esfera física de seu próprio ser. É uma informação de primeira mão, sem intermediário, que não necessita de quaisquer ferramentas adicionais.

A conexão com o coração provoca mudanças fisiológicas no corpo. Ocorre uma harmonia do ritmo cardíaco, um equilíbrio do sistema nervoso provocando uma regulação da pressão arterial e de outras glândulas e órgãos. Esta harmonização permite que os centros de percepção do cérebro processem as informações com mais eficiência, permitindo que novas soluções intuitivas alcancem a mente consciente.

O termo intuição quando se usa Coerência Cardíaca tem um sentido diferente. A intuição seria um processo de inteligência e compreensão que transcende os processos lineares e lógicos de pensamento. É a faculdade do conhecimento direto, como se por instinto, sem raciocínio consciente. A intuição seria conhecimento puro, não-transmitido e inferencial associado com introvisão aguda e rápida.

Acessando a Coerência Cardíaca

Temos duas formas de acessar a Coerência Cardíaca, através da respiração de um peque no exercício. Através da respiração é o seguinte: comece fazendo duas respirações lentas e profundas, que estimulam o sistema parassimpático e favorecem o "freio" fisiológico. Em seguida, acompanha atentamente a expiração até o final e deixa, após uma pausa de alguns segundos, que a inspiração retome naturalmente. Numa segunda etapa, deve-se imaginar que a respiração lenta e profunda é realizada na região do coração. Por fim, a concentração deve ser dirigida à sensação de calor ou de expansão no peito e, depois, incorporada à respiração e com um pensamento positivo.

A Coerência Cardíaca pode ser feita a partir de alguns passos básicos:
1. Faça um esforço para afastar a sua mente apressada ou das emoções perturbadoras para área ao redor do coração. Finja que esta respirando através do coração para ajudar a concentrar a sua energia nesta área. Mantenha a concentração aí pelo menos dez segundos.
2. Lembra-se de um sentimento positivo ou divertido, ou de uma época boa que você teve na vida, e tente revive-los.
3. Agora mantenha-se assim por alguns minutos aproveitando este momento agradável de conexão com o coração.

A Coerência Cardíaca e pesquisas do Projeto Trauma Infantil

Uma das técnicas que estamos pesquisando no Projeto Trauma Infantil é a Coerência Cardíaca. Ela tem inúmeras aplicações desde o aumento de potencial criativo ao controle de ansiedade antecipatória, podendo ser utilizada em várias situações, como aumento de desempenho de atletas, concursos, e em tratamento de patologias como traumas, fobias, ansiedade generalizada, entre outras.

A Coerência Cardíaca pode também ser utilizada na desensibilização de traumas. Uma das descobertas do Projeto foi de que a Coerência Cardíaca consegue atuar nas Inversões Psicológicas que um Trauma provoca. Os 40 mil axônios presentes no coração têm uma ligação direta com o cérebro reptiliano que controla os batimentos cardíacos. O tronco cerebral que faz parte do cérebro reptiliano é responsável pelo controle de comportamentos involuntários (não acessíveis à mente consciente), tais como os batimentos cardíacos e o funcionamento pulmonar. E isto é observado em todos os vertebrados. O reflexo direto desse vaivém que a Coerência Cardíaca faz entre o cérebro emocional e o coração provoca uma normalização do ritmo dos batimentos cardíacos e, além disto, uma normalização das Inversões Psicológicas, acionando os poderes de auto cura do corpo.

Portanto Coerência Cardíaca associada a Hipnose ou a técnicas de PRI, Processamento Rápido de Informações podem ser usadas na desensibilização de TEPT.

Fonte – Apostila de Hipnoterapia Infantil – 2008 - Gastão Ribeiro.
Apostila de Psicoterapia do Trauma – Módulo 3 – O Uso da Hipnose com Traumas – 2007 - Gastão Ribeiro.
Apostila de Psicoterapia do Trauma – O Diagnóstico Energético – 2008 - Gastão Ribeiro.Doc Childre, Howard Martin, Donna Beech - A Solução Heartmath – 2001 – Cultrix.
Servan- Schreiber - Curar – Editora Sá – 2004.Scaer, R. (2001). The Body Bears the Burden: Trauma, Dissociation and Disease, Binghampton: - The Haworth Press, 2001.


Comentários

Comecei a fazer o exercício de coerência cardíaca e melhorou muito a minha dificuldade respiratória, provinda de situações estressantes e de ansiedades.

Leandro Xavier Psicoterapeuta Holístico
Glau Guarino disse…
Sou neuropsicopedagoga, e atuo na rede munincipal de Jundiaí como professora em um bairro de periferia com crianças de 4 a 5 anos com alto grau de stress; alem de trabalhar como voluntária no GAAD - Semente/Grupo de Apoio à Adoção Semente.
Por perceber meus alunos com muitas características decorrentes de altos níveis de stress emocional, comecei em 2016 a fazer atividades de frequência cardíaca em sala de aula e obtive resultados incríveis; assim como obtive otimos resultados com as crianças do GAAD Semente.
Me encantei com as possibilidades educacionais da técnica, e sou fã ardorosa.
Gláucia Guarino.
Neuropsicopedagoga, Auriculoterapeuta e Terapeuta Integrativa.

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo o Cérebro – O SNA e as respostas de ansiedade – Gastão Ribeiro

Entendendo o Cérebro – O SNA e as respostas de ansiedade


O Sistema Nervoso Autônomo SNA

Os órgãos (as "vísceras") do nosso corpo, tais como o coração, estômago e intestinos, são regulados por uma parte do sistema nervoso chamado sistema nervoso autônomo (SNA). O SNA faz parte do sistema nervoso periférico e controla vários órgãos e músculos no corpo. Na maioria das situações, não temos conhecimento do funcionamento da SNA porque funciona de uma forma involuntária e reflexiva. Por exemplo, nós não notamos quando os vasos sanguíneos mudam o tamanho ou quando o nosso coração bate mais rápido. No entanto, algumas pessoas podem ser treinadas para controlar algumas funções da SNA, tais como freqüência cardíaca ou pressão arterial.
O SNA é importante em duas situações:
1. “Em caso de emergências que causam estresse e nos obrigam a acionar os mecanismos de sobrevivência de “Lutar” ou ”fugir “.
2. E em não-emergências que nos permitem "descanso" e "digestão".

O …

Entendendo o Cérebro – Área Pré Frontal

Entendendo o Cérebro – Área Pré Frontal

A área pré-frontal do nosso cérebro apresenta três sub-regiões com funções distintas, porém integradas, cujo comprometimento produz síndromes com características específicas . O córtex dorsolateral , o córtex parietal posterior r o córtex orbito frontal .
O CPF dorsolateral está envolvido com as funções executivas, a memória operacional e a atenção. A memória operacional (memória de trabalho) armazena, temporariamente, informações correntes do desempenho atual que são comparadas com padrões já registrados e com os objetivos futuros, visando seleção, iniciação, monitoração e, se necessário, mudança de estratégias de comportamento que levarão o indivíduo a atingir um determinado objetivo.
A manutenção das informações na consciência envolve também o córtex parietal posterior. As lesões nessa região implicam dificuldades na formulação de objetivos, seleção de estratégias e auto-regulação, na falta de flexibilidade comportamental e em déficits d…

A Traumatização vicariante - Gastão Ribeiro

A Traumatização vicariante
Gastão Ribeiro


A Traumatização vicariante é um novo conceito que as pessoas que trabalham com combatem a violência. O Trauma Vicariante é aquele que acontece pela expo¬sição a histórias traumáticas de outra pessoa. Isso foi inicialmente estudado entre conselheiros, líderes religiosos e profissionais médicos trabalhando em países em guerra.

Apesar dos profissionais de ajuda nunca terem sido submetidos a um bombardeio, tiros ou ataque militar apenas a escutar a mesma história várias vezes de seus clientes, pacientes ou membros da igreja causam o Trauma Vicariante. E isso parece ter um efeito cumulativo causando medo, raiva ou sofrimento emocional no indivíduo que escutou a mesma história vári¬as vezes, apesar de, talvez, ele não ter sofrido o trauma inicial.

O trauma vicariante é resultado e processo do compromisso empático entre o paciente e o terapeuta do trauma, que lidando tão próxima e frequentemente com situações de intenso impacto emocional negativo, l…